Acidentes Com Animais Peçonhentos: O Que Fazer Ao Ser Picado?


Crédito: PixHere

Ser picado por um animal venenoso requer uma atitude imediata. Você saberia o que fazer? Tire suas dúvidas agora.

O problema é que nem sempre você vê qual animal o picou, apenas sente uma leve dor ou coceira na pele e logo percebe os sintomas. Então, é importante saber reconhecer o tipo de picada e saber o que fazer em cada situação.

Como saber se fui picado por um animal peçonhento?


Os animais peçonhentos são aqueles que injetam veneno nas suas presas, seja para caçar ou se defenderem. Eles fazem isso porque é o seu instinto de sobrevivência.

Mas é importante saber reconhecer a picada e os sintomas para agir imediatamente no caso de acidentes com animais peçonhentos. Cada tipo de picada tem suas características. Veja as principais:

Picada de escorpião venenoso
A picada de escorpiões costuma deixar sintomas como inchaço, vermelhidão e dor no local. Mas pode também ocorrer sintomas mais graves, conforme o organismo da pessoa e a quantidade de veneno injetado. Como dor de cabeça, náuseas, vômito, pressão baixa e espasmo muscular.

Cobra venenosa
Os principais sintomas de mordida de cobra são inchaço e dor no local da mordida, fraqueza, sonolência, aumento gradual da dor e visão embaçada. Em alguns casos, pode haver vômito e desmaio.

Aranha venenosa
Os sintomas da picada das aranhas venenosas mais comuns, são:


  • Viúva-negra: agitação, angústia, contrações musculares, confusão mental, dores, alterações na pressão e nos batimentos do coração, sudorese e rigidez abdominal.
  • Armadeira: sudorese, tremores, dor intensa no local afetado, salivação e náuseas.
  • Caranguejeira: irritação na pele e dor no local da picada.
  • Marrom: náuseas, mal-estar, febre, queimação e inchaço no local da picada, urina escura, necrose (morte total ou parcial no tecido da pele no local afetado.

O que fazer ao ser picado por um animal venenoso?

Por falta de conhecimento, muitas pessoas tomam atitudes erradas ao perceberem acidentes com animais peçonhentos. 

Portanto, veja quais são os cuidados a ter assim que observar uma picada muito dolorida e que esteja inchando e causando outros sintomas:


  • Levar a pessoa picada imediatamente ao pronto-socorro;
  • Remover anéis, pulseiras, correntes e roupas apertadas que possam trancar a circulação do sangue à medida em que o membro afetado for inchando;
  • Lavar o local da picada com água e sabão ou soro fisiológico;
  • Cobrir o local da picada com um pano limpo, sem apertar. Se for picada de escorpião, aranha-armadeira ou viúva-negra, pode ser uma compressa com água quente para aliviar a dor;
  • Não fazer torniquete, pois pode causar necrose no local afetado por falta de circulação;
  • Não sugar nem espremer o veneno;
  • Não dar nenhum tipo de remédio ou bebida alcoólica para a pessoa picada;
  • Não colocar folhas, terra, pó de café ou qualquer outra substância sobre o ferimento;
  • Não queimar nem cortar o local do ferimento;
  • Manter a pessoa parada, evitando movimentos, para que o veneno não seja mais absorvido.
  • Manter a pessoa calma, pois quanto mais acelerado o coração estiver, mais rápido o veneno vai se espalhar pelo sangue.
  • Devo levar o animal junto para o pronto-socorro?
  • Sim, se conseguir capturar o animal em segurança, vivo ou morto, o ideal é levá-lo junto para que o médico possa ver exatamente qual espécie fez a picada. Sabendo qual é o tipo de veneno que está agindo no corpo do paciente o tratamento pode ser mais eficaz.
  • Se não conseguir capturar o animal, mas conseguir vê-lo, procure observar o tamanho, a cor e o máximo de características possível para relatar ao médico.


Dicas para evitar acidentes com animais peçonhentos

Os animais venenosos procuram ficar em seu habitat natural e só atacam quando se sentem ameaçados. Mas é comum que apareçam em áreas urbanas, especialmente onde há um ambiente propício para que eles se protejam ou se alimentem. Por isso, veja as dicas a seguir do que fazer para evitar acidentes com animais peçonhentos:


  • Antes de se vestir ou calçar os sapatos, observe as peças por dentro e sacuda antes de colocar em contato com o corpo;
  • Não queime terrenos baldios, pois se houver animais peçonhentos alojados, eles sairão do local e poderão ir para as residências;
  • Se tem materiais parados em ranchos, procure mudá-los de lugar com frequência pra evitar ninhos, sempre usando luvas e botas de proteção;
  • Mantenha camas afastadas da parede, e mantenha colchões e roupas de cama sempre limpos;
  • Evite amontoar calçados ou roupas em um canto da casa, mesmo que dentro de armários;
  • Se perceber infestação de roedores, baratas ou outros animais, combata o quanto antes, pois animais peçonhentos são atraídos por eles para se alimentarem;
  • Use tela nas janelas, ralos com grades e frisos ou saquinhos de areia nas soleiras das portas;
  • Mantenha a limpeza do quintal sempre em dia, evitando o acúmulo de mato ou materiais;
  • Cuidado ao andar por construções ou locais abandonados;
  • Não ande descalço;
  • Mantenha o lixo fechado;
  • Ao ver um animal peçonhento, não use inseticida ou ele poderá atacar;
  • Não coloque as mãos em frestas ou tocas de animais;
  • Mantenha os ralos, caixa de gordura e caixa d’água sempre limpos;
  • Ao ver um animal que acredita ser peçonhento, procure se afastar e deixá-lo ir embora sozinho. Se assustá-lo ele vai se sentir ameaçado e atacar.
  • Preserve os predadores naturais que protegem sua casa dos animais peçonhentos, como sapos, corujas e galinhas, caso os tenha.

Conheça os 10 escorpiões mais perigosos do mundo

Para saber reconhecer um escorpião venenoso, nada melhor do que olhar para ele e conhecer suas características físicas. Então, veja no vídeo abaixo como são as espécies mais perigosas. 




Fonte :Dicas Online

Dicas incríveis de como se recuperar da quimioterapia



Confira algumas dicas de como se cuidar depois da quimioterapia de forma saudável.
Na quimioterapia, o tratamento se dá pelo uso de injeções ou medicação oral para destruir as células cancerosas. Contudo, pode-se eliminar também algumas células saudáveis e, assim, abaixar a imunidade do paciente.

Como se recuperar da quimioterapia?

Entretanto, existe vida após a quimioterapia! Mal termina o tratamento e você já sente a diferença. Mesmo assim, alguns problemas podem permanecer por um tempo no organismo. Porém existem algumas coisas que você pode fazer para se recuperar na metade do tempo. Veja abaixo algumas dicas que separamos para você!

Mantenha uma alimentação saudável
Uma alimentação saudável após o tratamento será uma boa aliada na recuperação. Comer bem ajuda o organismo, a pele, a disposição, a memória, a reconstruir a força muscular e superar alguns efeitos colaterais.


  • Experimente sempre algum alimento novo;
  • Evite açúcar, sal, álcool e carboidratos refinados, como pão branco e arroz branco; coma pequenas porções de carne magra ou frango;
  • Faça o seu almoço e jantar ricos em nutrientes;
  • Coma mais vegetais frescos, frutas, grãos integrais e feijões e produtos lácteos;
  • Beba água;
  • Evite alimentos defumados ou em conserva e tenha sempre em casa ou no trabalho alimentos frescos e nutritivos.
  • Consulte uma nutricionista e faça uma dieta saudável e especial para você.
  • Cabelo saudável
  • A perda de cabelo é um dos efeitos colaterais do tratamento que afeta a auto-estima de muitas mulheres. Mas fiquem despreocupadas, o cabelo leva cerca de 2 a 3 meses para voltar a crescer, após a quimioterapia. E leva cerca de um ano para voltar totalmente ao comprimento normal.


Mas, até lá, você pode até se redescobrir uma nova pessoa de cabelo curto. Agora, se não curte um cabelo assim e quer mesmo que cresça, assista ao vídeo da Claudia Wenzel dando dicas para fazer seu cabelo crescer logo:

Faça exercícios

Aliar a pratica de exercícios físicos a sua rotina é uma dica importante para se recuperar da quimioterapia. Praticar atividade física de 3 a 5 vezes por semana ajuda a reduzir o estresse, fortalecer o corpo e melhorar a circulação sanguínea, auxiliando, assim, na cura contra o câncer.

Faça uma caminhada na praça perto da sua casa, entre em uma academia, em uma aula de dança, natação ou faça algum esporte. Se exercitar nunca é demais, só tome cuidados com exageros, caso você tenha ganhado peso durante o tratamento.

Por via das dúvidas e para não haver algum contratempo, vá até um personal trainer e veja qual é o melhor esporte e qual a freqüência certa para você!

Cuide da sua pele

A pele dos pacientes que fazem quimioterapia fica fragilizada após e durante o tratamento, por isso atenção a pele e ao passar um creme na hora de dormir e após o banho. Se liga nessas dicas que todo dermatologista indica também:


  • Ao se depilar e fazer a barba, tenha bastante cuidado para não se cortar;
  • Evite retirar cutículas e seja cuidadoso ao cortar as unhas
  • Use hidratante que não contenha álcool como, por exemplo, óleo de amêndoa ou leite de aveia.


Remédios caseiros para aliviar a quimioterapia
O tratamento quimioterápico apresenta alguns efeitos colaterais que afetam o corpo do paciente e alguns desses sintomas podem ser aliviados com medicamentos caseiros.

Há várias receitas como: tomar chá de folhas de framboesa ou amora, utilizar o óleo de linhaça em alimentos do café-da-manhã, tomar chá de gengibre e outros. Em caso de náuseas beba líquidos, pelo menos uma hora antes ou após as refeições, coma lentamente e em pequenas quantidades e evite alimentos gordurosos ou muitas frituras.

Lembre-se sempre que cabelo cresce, corpo emagrece ou engorda e a vida volta ao normal. Pode ter algumas mudanças, mas volta ao seu ciclo e sua rotina! E, claro, as dicas desse artigo não substituem uma consulta médica. Consulte seu oncologista, pois somente ele irá te dizer o que será melhor e como se recuperar da quimioterapia.

Furúnculo: o que é, o que causa o problema e como evitá-lo



O furúnculo pode ser confundido com uma espinha se não souber observar os sintomas. Veja quais são e como tratar.

O furúnculo pode acontecer na pele de qualquer pessoa e precisa de cuidados especiais para que não se agrave. Há quem tenha mais facilidade de ter, fazendo com que o problema ocorra várias vezes ao longo da vida. Mas com as medidas preventivas adequadas, você pode reduzir o risco consideravelmente.

Veja agora o que exatamente é um furúnculo, seus tipos, causas, sintomas e tratamentos. Saiba também se ele pode ser transmitido de uma pessoa para outra.

O que é furúnculo?
Quando surge um furúnculo na pele ele se parece muito com uma espinha, mas possui grandes diferenças. O furúnculo é uma infecção causada por alguns tipos de bactérias, sendo mais comum a Staphylococcus aureus.

A infecção pode afetar uma ou mais camadas da pele, e quanto mais profundo, maior fica a inflamação, formando um nódulo endurecido, com as bordas avermelhadas e aquecidas – sintomas típicos de inflamação –, e com presença de pus.

Tipos
O furúnculo pode evoluir para outros dois tipos mais sérios de infecção:

Carbúnculo: quando se espalha para outros poros e formam vários pontos de infecção, formando um grande abcesso, muito dolorido, que normalmente afeta a região da nuca.

Furunculose: este tipo ocorre quando o mesmo corpo é infectado por vários furúnculos, mas em pontos diferentes, e não agrupados em um só.

Causas
As bactérias que causam o furúnculo vivem na pele, então são normais e não causam problemas enquanto estão só na superfície.

Mas quando entram na pele através de uma feridinha aberta, picada de mosquito e até mesmo quando espreme uma espinha que demora para cicatrizar, infeccionam e formam o furúnculo.

Ele pode surgir apenas pela contaminação, quando a pessoa está com o sistema imunológico fraco, abrindo espaço para bactérias e outros micro-organismos. Mas também pode ser transmitido.

Sintomas
Os sintomas do furúnculo podem ser de vários níveis, desde um incômodo pequeno, como uma coceira quando leva uma picada ou quando se tem uma espinha que dói quando encosta, até vermelhidão, calor na região, dor, suor ao redor da ferida e febre.

Ele costuma aumentar de tamanho com o passar dos dias, bem como a intensidade dos sintomas, que podem reduzir aos poucos ao final de uma semana ou se agravarem ainda mais, sendo necessária a visita ao médico.

Os locais mais comuns de ocorrer são nas coxas, nádegas, rosto, axilas e pescoço, e outras áreas com maior quantidade de pelos.

Tratamentos
Em boa parte dos casos o furúnculo vai embora sozinho ao longo de uma semana, seja porque seca ou estoura e o pus acaba saindo e removendo a inflamação que estava causando dor.

Quando perceber um início de furúnculo, a melhor opção é fazer compressas quentes no local, algumas vezes ao dia, para estimular a drenagem do pus por conta própria e aliviar os sintomas. Também é importante manter o local sempre limpo e protegido, mas permitindo a circulação de ar.

Pode acontecer de ele ter atingido uma camada mais profunda da pele ou de o paciente estar com a imunidade baixa e mesmo depois de uma semana e meia ou duas, a infecção ainda apresentar todos os sintomas.

Nesse caso é necessário procurar um médico para avaliar a gravidade do problema, de acordo com os sintomas e local em que a infecção está instalada.

O tratamento pode ser desde pomadas antibióticas e compressa quente, até uma pequena incisão para remoção do líquido infeccionado no interior da ferida.

As pessoas que convivem com o paciente também vão receber a recomendação médica de tomar o cuidado de não compartilhar objetos e passar uma pomada específica no nariz todos os dias para não serem infectadas pelo ar.

Furúnculo é contagioso?
Não necessariamente a pessoa que estiver em contato com o paciente vai ter um furúnculo. Porém, sim, a bactéria causadora da infecção é contagiosa. Seja pelo contato com o local infectado ou mesmo pelo ar.

Quem tem um furúnculo precisa tomar o cuidado de não compartilhar roupas, lençóis, toalhas e outros objetos de uso pessoal que encostem na inflamação.

Além disso, é muito importante que o paciente sempre esteja com as mãos bem limpas e não fique tocando o furúnculo a todo momento. Isso pode espalhar as bactérias, aumentando o risco de transmissão.

Justamente por ser contagioso até mesmo para outras partes do corpo da mesma pessoa, nunca deve-se espremer um furúnculo! As bactérias presentes da infecção irão se espalhar e formar o carbúnculo ou a furunculose, como já explicados anteriormente.

Se acontecer de o furúnculo abrir sozinho e espalhar o pus na roupa ou na cama, estas devem ser lavadas e desinfetadas imediatamente.

Tem prevenção?
Algumas pessoas possuem uma predisposição maior de ter furúnculos, como os diabéticos, obesos, quem já tem outros problemas de pele e pessoas com HIV, por causa da baixa imunidade.

Então, manter a saúde sob controle, tomando a medicação corretamente e alimentando-se bem é fundamental, além de manter bons hábitos de higiene e evitar roupas muito apertadas que impeçam a boa circulação e a respiração da pele.

Dica: Use óleo de melaleuca
Os benefícios do óleo de melaleuca para a pele são muitos, então ele pode ser um bom aliado para o tratamento do furúnculo, desde o início. Pode aliar com as compressas quentes e a assepsia constante no local da infecção.

Mas vale lembrar que se os sintomas persistirem por mais de uma semana, o médico deverá ser consultado. E as dicas deste artigo jamais devem substituir uma consulta com um profissional de saúde

4 Motivos Para Optar Por Beber Água Morna Em Vez De Fria

Beber água é um hábito recomendado por todos os especialistas, e de fato ela é essencial para a nossa sobrevivência. Em geral, a consumimos fria e até mesmo gelada, já que muitos relatam que é dessas formas que matamos a sede. Mas você sabia que tomar água morna pode lhe trazer inúmeros benefícios? Veja a seguir, 4 motivos para optar por beber água morna em vez de fria.

Confira:


1.Efeito sobre o sistema nervoso: a dor de cabeça pode surgir em casos de temperaturas baixas, e isso não é diferente com a água fria, pois ela pode ocasionar enxaquecas nas pessoas que têm o problema. A água quente alivia a dor e pode ajudar a amenizar espasmos.



2. Efeito sobre o sistema digestivo: a gordura contida na comida é solidificada pela água fria, o que retarda a digestão, enquanto a água morna ajuda na digestão rápida do alimento, auxiliando na melhora da constipação e na absorção dos nutrientes.


3. Efeito sobre o sistema respiratório: a água fria pode gerar um acúmulo de muco, podendo causar inflamações na garganta, já que ela aumenta o risco de infecções do aparelho respiratório.


4. Efeito sobre o sistema circulatório: a água fria pode gerar estreitamento dos vasos sanguíneos, enquanto a água morna dilata-os, o que melhora a circulação sanguínea nos órgãos e tecidos.

Receita super fácil de preparar e que traz muitos benefícios para a saúde



Hoje trouxemos uma receita super fácil de preparar e que traz muitos benefícios para a saúde. Entre eles, diminuir o colesterol, combater a diabetes, acelerar o metabolismo, regular a menstruação e auxiliar as funções digestivas.

O consumo regular dessa bebida é capaz de combater várias doenças. 

O ingrediente que traz tantos benefícios é a canela que é capaz de ajudar a tratar várias doenças neurodegenerativas, incluindo o Alzheimer, Parkinson, esclerose múltipla, tumor cerebral e meningite.

Para as mulheres, há ainda mais vantagens, pois ela ajuda a combate a infertilidade, devido à produção de uma substância chamada cinamaldeído, responsável por aumentar o nível de progesterona no organismo, ajudando a equilibrar os hormônios.

A especiaria também tem se mostrado eficaz no tratamento de doenças como artrite, dores de cabeça e enxaqueca.

Em todos os órgãos, ela é capaz de desempenhar alguma benesse, e isso faz com que ela seja de extrema importância na nossa dieta.

A dica de hoje é uma receita saudável e super saborosa cujo ingrediente principal é a canela.

Ingredientes:


  • Canela em pó: 1 colher (sopa) ou três unidades em pau (mais ou menos do tamanho de um dedo indicador);
  • Água: 1 litro.


Modo de preparar:


  • 1. Em uma jarra com tampa, coloque os ingredientes e deixe na geladeira a noite toda;
  • 2. Se usar canela em pó, verifique se não há adição de açúcar pelo fabricante e mexa bem para que seja dissolvida pela água;
  • 3. Se usar a canela em pau, ferva um pouco em água antes de utilizar na receita, para evitar a contaminação por bactérias;
  • 4. Pela manhã, tome um copo em jejum e mais dois copos ao longo do dia;
  • 5. Caso queira, também é possível acrescentar algumas gotas de limão no copo antes de beber.


Se for hipertenso, é melhor consultar seu médico antes de começar a ingerir a bebida.

Atenção: as dicas do blog não substituem uma consulta ao médico.




Fonte : Caderno de Receitas

Se você tem uma bexiga hiperativa ... então você deve evitar esses 6 alimentos!



Sofrendo de bexiga hiperativa é um grande problema para o paciente, pois é uma condição difícil de controlar, o que traz muitos problemas e desconfortos. Além de cuidar da quantidade de líquido ingerido, é necessário levar em conta quais os alimentos que favorecem a perda de água e promovem a função renal. Tudo isso nós responderemos a você em seguida.


O que é bexiga hiperativa?
É chamado bexiga hiperativa quando a pessoa sofre, micção súbita e insuportável. Outros sintomas são incontinência e com que frequência você urina. Quando o paciente tem mais de 8 micções por dia, ele já é diagnosticado com bexiga hiperativa.

É uma condição bastante desconfortável que traz consigo vários problemas, especialmente os sociais. O desejo de urinar, sendo repentino, não pode ser controlado. Além disso, há sempre o risco de acidentes e urinar no topo. As origens desta doença ainda são desconhecidas, mas acredita-se que elas tenham uma relação direta com problemas nervosos.

20% dos casos de bexiga hiperativa estão relacionados a outras condições, como doença de Parkinson, tumores cerebrais, tumores de medula óssea, mielomeningocele (um tipo de espinha bífida) e outros problemas neurológicos.



O tratamento mais prescrito são medicamentos que relaxam os músculos e mantêm o controle dos nervos. Os médicos geralmente aconselham:

  • Injeções com toxina botulínica
  • exercícios diários para tonificar os músculos da pélvis e dos esfíncteres.
  • atividade física para acalmar os nervos.
  • atividades recreativas para gerenciar o estresse.
No entanto, o paciente deve verificar a quantidade de água que bebe durante o dia, somada a vários cuidados. Além do que é recomendado pelo especialista de confiança, levar em conta os alimentos ingeridos também é importante. Alimentos diuréticos e aqueles que estimulam a atividade renal devem ser evitados e mantidos fora da dieta diária.

6 alimentos para evitar quando você sofre hiperactiva bexiga 

1. Cafeína 
Cafeína, desde que seja consumido com moderação, pode ser um alimento diário dieta. No entanto, está associado a vários problemas nervosos. Portanto, pessoas com bexiga hiperativa têm contra-indicada. Você não deve consumir cafeína de qualquer forma (mesmo que moderadamente). Alguns estudos afirmam que esta substância é capaz de causar hiperatividade do cérebro e nervosismo, mesmo em doses muito pequenas. Também não é recomendado em pessoas com picos de estresse ou ansiedade porque piora os sintomas e favorece condições como fadiga crônica ou insônia.

Lembre-se que a cafeína não é encontrada apenas no café. Você também pode consumi-lo em refrigerantes, refrigerantes à base de cola, infusões de ervas e até mesmo em alguns chocolates e cacau.




2. Tomate 
 O tomate é uma fruta deliciosa, com uma certa doçura e muito suculenta, no entanto, também tem um nível importante de acidez. A acidez do tomate irrita os ductos urinários e agrava os sintomas. Fato a ter em mente: Se o tomate estiver cozido, sua acidez se intensifica, o que o torna ainda pior.

3. Alimentos picantes 
Pessoas com síndrome do intestino irritável, colite e problemas intestinais são proibidos de comer alimentos condimentados. Isto é devido ao grande poder de irritabilidade que eles possuem. Algo semelhante acontece com a bexiga. Compostos picantes irritam o trato urinário e agravam os sintomas.

Evite pimenta branca, pimenta caiena, pimenta, pimenta, açafrão e misturas de especiarias quentes que geralmente são feitas por diferentes marcas. Você também deve reduzir ao máximo as refeições hindus, a maioria dos guisados ​​asiáticos e, é claro, todos os pratos mexicanos (embora sejam os mais deliciosos).

4. Certos sucos de frutas 
Aqui vamos falar sobre um erro muito comum entre os pacientes que usam remédios naturais. Primeiro, vamos mencionar as propriedades dos mirtilos. Se você é uma das pessoas que gosta de medicina natural, você saberá que os mirtilos são excelentes para limpar o trato urinário. Um dos remédios mais comumente consumidos é suco de cranberry contra infecções do trato urinário. Muitas pessoas, com base nisso, tentam tratar a bexiga hiperativa com o dito suco. Este é um erro grave. O nível de acidez desta fruta, que trabalha para limpar os dutos, causa uma micção mais abundante e um trabalho extra pela bexiga. É por isso que esse tratamento geralmente falha e até piora os sintomas.

Por outro lado, e devido à mesma razão explicada acima, você também deve evitar os sucos de frutas cítricas. Embora sejam excelentes para fortalecer o sistema imunológico ou para tratar doenças respiratórias, eles não são recomendados quando há uma doença na bexiga.

5. Alimentos com muito açúcar 
Para ser honesto, neste momento, todos sabemos que os açúcares refinados são extremamente prejudiciais à nossa saúde. Se, além disso, você sofre de bexiga hiperativa, a situação se torna muito pior. Além de adicionar calorias desnecessárias ao corpo, o açúcar branco irrita as membranas mucosas do corpo. Você não apenas sentirá mais vontade de urinar, mas também sentirá dor. Sem mencionar que eles não fornecem qualquer tipo de benefício nutricional.

Como os adoçantes artificiais são geralmente um pouco diuréticos, aconselhamos que você adoçar suas refeições com stevia ou mel. Você pode até mesmo fazer suas receitas de tota, bolos ou bolos com algumas datas. As datas têm uma doçura natural muito poderosa. Eles são um grande segredo para adoçar suas preparações naturalmente.





6. Bebidas alcoólicas 
O álcool é uma substância tóxica para o corpo. Quando ingerimos, o corpo envia inúmeros sinais a todos os órgãos para dar o aviso de toxicidade. Naquele momento, mecanismos estão acesos que tentam remover o dito "veneno" do corpo. O primeiro recurso é eliminá-lo através da urina. Para conseguir isso, todas as reservas líquidas são esvaziadas. Os rins trabalham muito mais usando água e tentando diluir e excretar o álcool.

Esses mecanismos diuréticos não são benéficos para um paciente com problemas na bexiga. Antes de tomar outra bebida, avalie se realmente vale a pena.

O Que Fazer Em Caso De Convulsão? Como Reagir, Causas E Diagnósticos


A convulsão é caracterizada por movimentos involuntários e descontrolados que um indivíduo passa a ter devido uma anormalidade que ocorre nas ligações neurais do cérebro. Cerca de 2% da população adulta já passou pela situação de ter uma crise convulsiva e muitos deles podem voltar a desenvolvê-la mais de uma vez. Por isso é importante que você saiba o que fazer em caso de convulsão.

O que é a convulsão e quais são as suas causas?

O sintoma se trata do rompimento da função do cérebro. E este ocorre quando a atividade elétrica entre os seus neurônios aumenta de forma excessiva. Como consequência dessa atividade, o indivíduo pode passar a ter contração dos músculos corporais de forma repetida e de maneira involuntária.


Além disso, pode ocorrer perda de consciência, o que faz com que, após a crise, a pessoa não tenha conhecimento do que se passou. As convulsões têm duração de alguns segundos a 5 minutos, e possui causas variadas, como:

  • Consumo de bebida alcoólica em excesso;
  • Consumo excessivo de drogas;
  • Uso de determinadas medicações;
  • Infecções;
  • Falta de sódio no sangue;
  • Excesso de glicose no sangue;
  • Hemorragias;
  • Insuficiência renal;
  • Tumores cerebrais;
  • Aumento do volume líquido cerebral;
  • Problemas cerebrais congênitos;
  • Asfixia;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Pressão sanguínea irregular;
  • Abstinência de medicações, álcool ou drogas.
  • Tipos de convulsões

Antes de saber o que fazer em caso de convulsão, é bom conhecer os tipos de crise. Os aspectos da convulsão podem variar em cada pessoa, entenda:

Crise de ausência

Essa é mais comum em crianças e pode ser facilmente confundida ou despercebida. A pessoa fica parada, com um olhar vago, não responde e apresenta uma leve perda de consciência. Esta pode durar alguns segundos, por isso é perigosamente despercebida.

A crise de ausência não costuma causar danos físicos e, em crianças, é passageira. Se persistirem os episódios, o ideal é consultar um neurologista.

Crise focal

Neste caso a pessoa pode ou não ter a perda de consciência. Antes de ocorrer a crise, você pode sentir alguns desconfortos como formigamento, tensão corporal e movimentos involuntários leves.

Crise generalizada

Esta é a crise mais comum e mais conhecida. O indivíduo tende a perder a coordenação motora, produzindo movimentos involuntários, contrações musculares em todo o corpo e na mandíbula. Pode ainda vomitar ou salivar muito.

O que fazer em caso de convulsão?

A primeira coisa que deve-se fazer é proteger a pessoa que está tendo a crise convulsiva. Caso a pessoa esteja de pé, tente deitá-la e mantê-la confortável, colocando algum tipo de apoio sob a cabeça.

Devido à perda de coordenação motora, a pessoa pode lesionar-se. Portanto afaste os objetos que estejam próximos a pessoa com convulsão.

Também é importante colocar a pessoa de lado, para que o excesso de fluído bucal, como a saliva e o vômito, possa escorrer pela boca. Apesar do descontrole dos músculos faciais, não coloque nada na boca do paciente, jamais!

As convulsões tendem a durar de alguns segundos a poucos minutos, por isso espere que a crise termine enquanto entra em contato com ajuda médica.

Diagnóstico
Após garantir a segurança da pessoa, solicite ajuda médica mesmo que a crise já tenha terminado. Quando o auxílio chegar é importante detalhar todo o ocorrido. Os paramédicos vão fazer perguntas de acordo com as suas observações, caso o indivíduo ainda esteja desacordado, como:

  • Pedir que você informe se houve ou não perda de consciência no indivíduo;
  • Tempo de duração da crise;
  • Se o paciente sofreu alguma lesão ao debater-se devido aos movimentos involuntários;
  • A condição na qual a pessoa estava como, por exemplo, se estava ou não ingerindo bebida alcoólica;
  • Local no qual a pessoa teve a crise;
  • Se a pessoa vomitou ou teve sangramento bucal.

Convulsão pode matar?
Os casos de morte por convulsões são raros, mas não impossíveis. A convulsão pode levar à morte, principalmente em caso de asfixia pela própria saliva e fluidos bucais. Então, é preciso garantir a segurança do paciente antes de chamar por ajuda.

Por isso, quando confrontar-se com esta situação, primeiro socorra a pessoa e depois ligue para o 192, o número de emergência do SAMU.


Tenha sempre um kit de primeiros socorros em casa. Nessas horas pode ser extremamente útil, principalmente se a pessoa morder a própria língua ou se debater contra um móvel. Mesmo que você não saiba o que fazer em caso de convulsão, poderá remediar a crise enquanto espera por ajuda.

As dicas deste artigo não substituem a consulta ao médico. Lembre-se que cada organismo é único e pode reagir de forma diferente ao mencionado. E para obter os resultados mencionados também é preciso aliar a uma vida e alimentação saudável e equilibrada.


Fonte: Dicas Online
 
(c) Copyright 2011 Curiosidades e dicas. Designed by Free Wordpress themes, Free Web Templates